domingo, 28 de setembro de 2008

O Começo - ou; O encontro.

Engraçado era. E as duas deveriam admiti-lo.
As duas se conheceram como qualquer pessoa conhece a outra. Uma estava meio sozinha, e também meio perdida, numa lanchonete qualquer da cidade, e a outra meio achada no meio de uma turma meio qualquer. Digo meio qualquer pois a menina da lanchonete conhecia outra da tal turma. Anconteceu, portanto, numa fila. Elas se olharam e puft! - assim, com onomatopéias porque esse foi um instante que não se escreve. Ele é. Da mesma maneira que onomatopéias são aquelas coisas impossíveis de serem escritas, mas nas quais a gente insiste e acaba juntando um monte de consoante e fazendo gracinhas com elas... - "e a mágica se deu", como iriam rir-se mais tarde.
Se conheceram meio sem querer. Sem apresentações ou "qual seu nome?". A primeira pergunta foi da moça meio perdida:
-Eu não tenho seu msn - E sim, isso não foi uma pergunta, foi feita só como observação... Como uma forma diretente de dizer "quero você..."
-Eu não sei o seu nome. - Foi a obsrvação feita em resposta a pergunta.